SÃO PAULO | ZÜRICH

 
SÃO PAULO | ZÜRICH

Élle de Bernardini, Beatriz Lemos

Élle de Bernardini, Beatriz Lemos
Zwei Arts

Fortuna Crítica
Élle de Bernardini

Corpo Expandido, Carollina Lauriano

Corpo Expandido, Carollina Lauriano

[spb_text_block animation=”none” animation_delay=”0″ simplified_controls=”yes” custom_css_percentage=”no” padding_vertical=”0″ padding_horizontal=”0″ margin_vertical=”0″ custom_css=”margin-top: 0px;margin-bottom: 0px;” border_size=”0″ border_styling_global=”default” width=”1/1″ el_position=”first…

Black and gold, Raphael Fonseca

Black and gold, Raphael Fonseca

[spb_text_block animation=”none” animation_delay=”0″ simplified_controls=”yes” custom_css_percentage=”no” padding_vertical=”0″ padding_horizontal=”0″ margin_vertical=”0″ custom_css=”margin-top: 0px;margin-bottom: 0px;” border_size=”0″ border_styling_global=”default” width=”1/1″ el_position=”first…

Élle de Bernardini, Beatriz Lemos

Élle de Bernardini, Beatriz Lemos

[spb_text_block animation=”none” animation_delay=”0″ simplified_controls=”yes” custom_css_percentage=”no” padding_vertical=”0″ padding_horizontal=”0″ margin_vertical=”0″ custom_css=”margin-top: 0px;margin-bottom: 0px;” border_size=”0″ border_styling_global=”default” width=”1/1″ el_position=”first…

Élle de Bernardini (1991, Itaqui, Rio Grande do Sul, vive em Porto Alegre)

Beatriz Lemos

Élle de Bernardini é mulher transexual, artista e bailarina, cujos trabalhos são amplamente permeados por sua biografia. Com o uso de diversas linguagens, como performance, video, fotografia, pintura, objeto e instalacão, suas obras abordam questoes de genero, sexualidade, identidade, biopolitica, relacoes de poder e controle do corpo pelo sistema. Sua prática interdisciplinar insurge dos movimentos recreativos de construcão e destruicão da própria imagem andrógina, forca motriz do interesse da artista em investigar e questionar os limites binários impostos socialmente naquilo que se institui como masculino e feminino, loucura e sanidade, pornografia e arte. Na série Formas contrassexuais (2019), a artista recorre a Paul Preciado e à sua obra Manifesto contrassexual, em que o filósofo espanhol propoe um modelo social não binário no qual os individuos seriam compreendidos como corpos ou sujeitos “falantes” imbuidos de potencia. Preciado apresenta ainda práticas de inversão contrassexual como a dildotectônica e a dildotopia, tecnologias que, influindo radicalmente nas relacoes interpessoais e sexuais, permitiriam a ruptura de um sistema que aprisiona corpos e formas de prazer. Munida desses conceitos, Élle de Bernardini cria objetos que aludem a partes do corpo, em especial, zonas erógenas, recombinadas de maneiras não usuais. Por meio de uma representacão sintética destes membros, como seios, vaginas, ânus etc., Bernardini desenvolve uma espécie de léxico formal próprio, em que supostos dildo-pernas ou dildo-bracos, implantes de clitóris e aberturas de orificios seriam possiveis em variadas partes do corpo, desconstruindo as conjecturas de uma pressuposta materialidade corporal única. — BL